quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Soneto

.
.
Por que me descobriste no abandono
Com que tortura me arrancaste um beijo
Por que me incendiaste de desejo
Quando eu estava bem, morta de sono

Com que mentira abriste meu segredo
De que romance antigo me roubaste
Com que raio de luz me iluminaste
Quando eu estava bem, morta de medo

Por que não me deixaste adormecida
E me indicaste o mar, com que navio
E me deixaste só, com que saída

Por que desceste ao meu porão sombrio
Com que direito me ensinaste a vida
Quando eu estava bem, morta de frio

Chico Buarque

.

2 comentários:

Antònìo Manuel disse...

Flor:
Amiga!

Vim lhe Agradecer seu Carinho e Amizade:

Lhe desejo Feliz Ano 2010

Que a Saude, Paz,Harmonia e o Amor,
estejam sempre presentes em sua vida!!

FELIZ ANO NOVO



Antònìo Manuel

A.S. disse...

Flor...

Um soneto que arrebata as emoções... cada palavra é uma doce e suave caricia!

Beijos!
AL

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails