terça-feira, 20 de julho de 2010

A boca

.
.
A boca,
onde o fogo
de um verão
muito antigo cintila,
a boca espera
(que pode uma boca esperar senão outra boca?)
espera o ardor do vento
para ser ave e cantar.

Levar-te à boca,
beber a água mais funda do teu ser
se a luz é tanta,
como se pode morrer?

Eugénio de Andrade

.

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Flor querida,

Maravilha de postagem...perfeita!!!

"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"

(Vinícius de Moraes)

FELIZ DIA DO AMIGO!!

Beijos,

Reggina Moon

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails