terça-feira, 9 de novembro de 2010

Três fósforos acesos



Três fósforos acesos
um a um durante a noite.
O primeiro para ver teu rosto,
O segundo para ver teus olhos e
O último para ver tua boca.
E a escuridão inteirinha para lembrar tudo isso
Estreitando-te em meus braços.

Jacques Prévert
Tradução Amélia Pais

5 comentários:

A.S. disse...

Belo! Intenso! Sensual!...
Cada silaba é uma doce caricia deslizando suavemente pela pele... como esta bela melodia...

Beijos, querida!
AL

Antònio Manuel disse...

Flor:

Amiga!

Lindo verso, adoro estar aqui:

*****
O último para ver tua boca.
E a escuridão inteirinha para lembrar tudo isso
Estreitando-te em meus braços.

*****

Grato pela partilha.

Tenha um otimo fim de semana

Abraço carinhoso


Antònìo Manuel

REGGINA MOON disse...

Flor querida!!

Linda postagem, estou levando esse verso para compartilhar....é tão suave...e tão forte!!!

Beijos e bom final de semana!!

Reggina Moon

Me permita disse...

Ual, lindo, provocante... E um quarto fósforo para incendiar o teu desejo! Bjs!

Nilson Barcelli disse...

Lindo poema.
Com imensa sensualidade.
Boa semana, beijos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails