segunda-feira, 25 de julho de 2011

Aconchego-me às tuas costas



Achego-me às tuas costas,
côncava pro convexo,
agora que o sono é o perfume
a emaranhar teus cabelos;

Agora que tuas ancas se aquietam, as minhas
aconchegam-se aos teus sonhos, juntando os
arrepios que versejam, em braile, pelas páginas dos
nossos corpos: livros livres

Agora que sua nuca se oferece
pr’um carinho lascivo, deixo um suspiro sonhado, e
cerro as pálpebras pra te sonhar
enroscado no círculo de meus braços...

Daniela Novais e Patrícia Gomes


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails