quarta-feira, 10 de março de 2010

Nu e cru

.
.
Envolve-me docemente.
Que os teus braços sejam abraço
envolvente.
Sem pressas manso com vagar devagar de-
va-ga-ri-nho.
Isso. Assim.

Mão na nuca com dedos vincados que
esmaguem meus lábios bem abertos contra
os teus em oferta. Que as línguas se
toquem, se entrelacem e deslacem nossos
corpos.
Isso. Assim.

Encosta-te, enrosca-te e sente o que
endurece, em mim e em ti, sob botões
arrancados à força, num repente
alucinado. Os lábios beijam. Os dentes
mordem.
Isso. Assim.

E, chegados aos ouvidos, aflorados os
lóbulos pelos recantos mais recônditos,
que os lábios sussurem, murmurem, repitam
e gritem, sem receios nem temores nem
medos nem terrores de que as paredes
oiçam e os vizinhos estremeçam...
Isso... Assim... Em uníssono...

...

Isso... assim...
Nus e crus.
O texto...
Eu e
tu.

Daniel Santiago

.

2 comentários:

Reflexos de MiM disse...

Belo e sentido...curto mas intenso!
Adorei!

Xanele disse...

Nossa...
arrasou

beijos Xan

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails