domingo, 25 de abril de 2010

Fazer amor

.
.
O amor, para fazê-lo
É preciso muito, muito tempo;
Pouca, quase nenhuma pressa
E uma certa habilidade mística

É preciso ter mãos leves e lésbias
Pousadas feito pássaro
Sobre o verão da carne
E ousar um determinado voo.

É necessário um divertimento
Dos ossos e dos músculos,
Algo como uma partida de futebol
Ao entardecer da vida.

É preciso uma certa displicência,
Um completo desprendimento
De todas as coisas;
Que nada no mundo interfira no amor.

É preciso um completo silêncio,
Um silêncio vegetal anterior às palavras,
Um silêncio de dois antigos olhares que se entrecruzam
Ouvindo o sangue nas veias correr.

É preciso redescobrir aquela antiga
Prática perdida pelos homens
De fazer uma rosa se abrir
Dentro dos olhos de uma mulher.

Inácio de Oliveira

.

3 comentários:

cristal de uma mulher disse...

Extremanente lindo..

É preciso redescobrir aquela antiga
Prática perdida pelos homens
De fazer uma rosa se abrir
Dentro dos olhos de uma mulher.

Quanta natureza em tuas palavras amiga eu adorei tudo e em poucos segundos eu pensei ,como é lindo escrever !

Beijos da amiga de sempre..Cristal

Me permita disse...

"É preciso um completo silêncio,
Um silêncio vegetal anterior às palavras,
Um silêncio de dois antigos olhares que se entrecruzam
Ouvindo o sangue nas veias correr".

Palavras de uma sensibilidade extasiante e profunda! Perfeito, minha querida, como tudo aqui... bjs

Ludmilla Mattos Pinheiro de Souza disse...

O amor, para fazê-lo
É preciso muito, muito tempo;
Pouca, quase nenhuma pressa
E uma certa habilidade mística

essa parte foi minha predileta! habilidade mística, concordo!

muito legal esse site!
eu tenho algumas poesias no meu, se quiser acrescentar aqui com o devido crédito, pode viu!

amei vc está fazendo um trabalho magnífico!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails