sexta-feira, 2 de abril de 2010

Por que te negas?

.
.
Anda vem..., porque te negas,
Carne morena, toda perfume?
Porque te calas,
Porque esmoreces,
Boca vermelha ... rosa de lume?

Se a luz do dia
Te cobre de pejo,
Esperemos a noite presos num beijo.

Dá-me o infinito gozo
De contigo adormecer
Devagarinho, sentindo
O aroma e o calor
Da tua carne, meu amor!

E ouve, mancebo alado:
Entrega-te, sê contente!
... Nem todo o prazer
Tem vileza ou tem pecado!

Anda, vem!... Dá-me o teu corpo
Em troca dos meus desejos...
Tenho saudades da vida!
Tenho sede dos teus beijos!

Antonio Botto

.

5 comentários:

REGGINA MOON disse...

Flor querida,

Lindo poema de Antonio Botto, uma ótima escolha...maravilha!!

Um grande beijo e ótima semana!!!

Reggina Moon

Iana disse...

Eu li "flor" então corri pra ve la
pois no meu jardim cultivo as flores de mais variadas cores...

Uiii.. e que poema delicioso..

beijo deixando flores frescas e perfumadas

Ah, quem sou??? apenas uma rosa amiga
Iana!!!

Me permita disse...

Lindo, minha amiga! O teu blog continua fantástico, inspirador! Bjo carinhoso!

Vieira Calado disse...

O Botto, que era português, mas acabou por morrer no Brasil,
tem um poema assim:


Não sou homem nem ateu;

Sou eu!

*

Alguém pegou no poema e disse:

Não és homem nem és Botto;

És roto!

*
E era...

Bjs

Ludmilla Mattos Pinheiro de Souza disse...

adorei a parte de esperar a noite preso num beijo...
muito bom!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails