segunda-feira, 28 de junho de 2010

Podes dizer

.
.
Podes dizer que me não amas,
sim, podes dizê-lo,
e o mundo acreditar,
porque só eu saberei
que mentes!

Eu estou na tua alma
como a flama
que devora sob a cinza
as brasas dormentes...

Não creias no remorso
- o remorso não existe!
O que tu sentes
e o que em ti subsiste,
são o rubor da minha ternura
e a chama do meu amor
que em ti
nunca foram ausentes!...

Não julgues, não, que me esqueceste,
porque mentes a ti mesmo
se o disseres…
Podes ter os amores que quiseres,
que o teu amor por mim,
como uma dor latente e compungida,
há-de acompanhar sempre
a tua e a minha vida!

Judith Teixeira

.

Um comentário:

Rosana Dorta disse...

Esse poema é tudo de bom, pois existe "pessoas" que insistem em dizer que nuca amou, mas ao contrário nunca esqueceu...
Adorei parabéns

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails