segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Ardo-me



Ardo-me por um tango de Piazolla
um soneto de Neruda
um poema de Lorca

Encolho-me sob os personagens
de Guimarães
Exibo-me às palavras de Luiz

Ser não é viver o desejo
é ser o próprio desejo
Respirá-lo
Expirá-lo
Senti-lo no baixo ventre
Destilando nas veias
Para bebê-lo ardente
Direto da boca da alma.

Márcia Leite


Um comentário:

Reflexos de MiM disse...

Piazolla, Neruda e Lorca??? Já perfeita a conjugação dos três...juntam-se estes belos versos e eis que tive o prazer de ler um belo poema...excelente a escolha.
Um beijo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails