domingo, 28 de agosto de 2011



Até posso corar se te disser que todas as noites,
quando me afundo na cama,
abraço-me como se fosses tu a abraçar-me.
Peço-me de empréstimo.
Enquanto os teus braços estão aí,
noutro lugar do vento.

Ana Salomé


Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

Esse doce tormento em noites carentes nos consome!
Tenha uma ótima semana!
Um abraço carinhoso

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails